As marcas da Pedrita em mais uma grande obra catarinense: o novo aeroporto de Florianópolis


Sobre aproximadamente 443 mil toneladas de britas fornecidas pela Pedrita vão pousar as aeronaves que a partir de 1º de outubro estarão operando no novo e moderno aeroporto de Florianópolis. Primeira pedreira da América Latina a conquistar a certificação ISO 14001, a Pedrita foi responsável pelo abastecimento dos insumos necessários para a construção das pistas, do pátio e do estacionamento do terminal, que passará a contar com 2.580 vagas para veículos.

Os trabalhos iniciados em 15 de janeiro do ano passado estão em fase de conclusão e serão inaugurados no dia 29 de setembro. Com investimento de R$ 570 milhões, o novo Aeroporto Internacional Hercílio Luz ocupa um espaço de 49 mil metros quadrados e terá capacidade para 8 milhões de passageiros ao ano - quatro vezes mais que o terminal atual, que já opera acima da capacidade. Uma das parceiras da Pedrita na realização dos trabalhos foi a Planaterra. Com matriz em Chapecó, no Oeste catarinense, e atuação em importantes obras rodoviárias em todo o Estado e também fora de Santa Catarina, a Planaterra foi uma das contratadas pela Floripa Aiport, administradora do terminal, para executar parte do estacionamento dos veículos e as pistas onde circularão as aeronaves – 10 poderão ficar estacionadas ao mesmo tempo.

"A parceria firmada entre a Planaterra e a Pedrita visando à execução de serviços de pavimentação no novo terminal do aeroporto de Florianópolis foi um sucesso e agora ampliamos para as obras da Planaterra com a prefeitura de Florianópolis", revela Ronaldo Blaschewitz, gerente de produção da Planaterra.

Para atender as exigências da obra, desde agosto do ano passado a Pedrita colocou à disposição as unidades localizadas no Rio Tavares, na Capital, onde está a matriz da empresa, e de Biguaçu, onde fica a filial. A maioria (54%) do material fornecido para os trabalhos saiu da unidade do Rio Tavares, localizada a cerca de sete quilômetros do novo terminal. "É um orgulho e é muito gratificante para a Pedrita participar desta obra de grande relevância para Santa Catarina, especialmente para o desenvolvimento de Florianópolis", destaca Regiane Baumgartner, gestora da Pedrita.

Pedra pulmão

A espécie de brita mais fornecida foi a pedra pulmão, em um total de 134,5 mil toneladas – boa parte (84,5%) oriunda de Biguaçu, do Bairro Tijuquinhas, em transportes realizados principalmente à noite. A pedra pulmão tem dimensões que variam de 6,35cm a 15,24 mm e é resultado da pedra bruta graúda retida na peneira. É indicada para fundações em geral, aterramentos, drenagem de áreas alagadas, sustentação de viadutos, muros de contenção, barreiras e nivelamento de áreas. Outros tipos usados foram as britas 01, 02 e 04, a brita graduada, o pedrisco, o pó de pedra, a bica corrida, a pedra detonada e a brita graduada tratada com cimento (BGTC).

A empresa também forneceu o asfalto usinado para as pistas, para o estacionamento e para os novos acessos ao aeroporto, além das britas para estas vias em execução. Para o terminal foram cerca 42 mil toneladas de asfalto, e para os acessos, até o momento, em torno de 360 mil toneladas de pedras e 2 mil de asfalto.

Ao longo de 46 anos de história, a Pedrita participou de grandes projetos para Florianópolis e região, fornecendo insumos e materiais para obras como as pontes Pedro Ivo e Colombo Salles; o túnel da Via Expressa Sul; o Sapiens Parque, no Norte da Ilha; o antigo aeroporto Aeroporto Hercílio Luz, além de ter construído o elevado do Rio Tavares, importante modal de mobilidade urbana na região do Sul da Ilha de SC.


39 visualizações

Endereço Rio Tavares

Rod Doutor Antônio Luiz Moura Gonzaga, 2146

Rio Tavares - Florianópolis, SC - CEP: 88048-300

(48) 3231- 4500 

Endereço Biguaçu

Rod BR-101, km-186

Tijuquinhas - Biguaçu, SC - CEP: 88160-000

(48) 3285-0092

  • Facebook - Círculo Branco